Micoses Superficiais Orientações Médicas / Dermatologia  

Devido ao aumento das atividades esportivas, as consultas por lesões secundarias aos esportes é cada vez mais freqüente.  Atletas apresentam risco para micoses cutâneas, especialmente aqueles que praticam esportes em equipe.  A terminologia pé-de-atleta ou frieira é associada a pratica esportiva. O reconhecimento dessas doenças é fundamental para evitar o contagio em outros membros da equipe.


Como as micoses são adquiridas?

As micoses, ou tineas, são causadas por fungos, denominados dermatofitos. A transpiração excessiva e a maceração contribuem para a penetração do fungo na pele, especialmente em locais quentes e úmidos, como os pés, virilhas e axilas. Nos esportes de contato, o contato pele a pele dos participantes e as abrasões também contribuem para a transmissão da doença.


Como se manifesta na pele?

As infecções por dermatofitos podem se manifestar de muitas maneiras. As infecções na face e couro cabeludo são denominadas tinea capitis; no corpo, tinea corporis; nas virilhas, tinea cruris e nos pés, tinea pedis. A mais comum é a tinea pedis, variando de 25 a 70%. A apresentação clinica varia. No couro cabeludo, apresentam-se como placas escamosas acinzentadas acompanhadas de perda de cabelo no local. No corpo, como placa eritematosa, bem definida, com bordas elevadas, mas nos atletas pode se apresentar como uma placa irregular. A tinea corporis é mais comum na cabeça, pescoço, tronco e braços. Na região inguinal, caracteriza-se por placa eritematosa e nos pés, por descamação fina, principalmente nas plantas e entre os dedos, estendendo-se para as margens laterais dos pés.



Como é feito o diagnostico?


O diagnostico é estabelecido através de um exame denominado micológico direto, que consiste no raspado da lesão e da cultura, que determina o agente causal exato, importante para o tratamento adequado.


Como é tratada?


O tratamento consiste em antifúngicos, que podem ser tópicos ou orais. Atletas de esportes que não envolvem contato ou casos localizados são tratados com tópicos. Casos extensos, com inflamação importante ou refratários aos tópicos, necessitam de antifúngicos orais. Os tópicos são aplicados 2 a 4 vezes ao dia, por pelo menos 2 semanas. Os orais são administrados por 2 a 4 semanas. As lesões em couro cabeludo podem ser de difícil tratamento, portanto é utilizado medicamento oral por pelo menos 6 semanas associado ao uso diário de xampu com cetoconazol ou ciclopirox.


Como prevenir?


• Secar bem os pés, principalmente entre os dedos;

• Aplicação regular de pó para os pés ou cloreto de alumínio a 20%.;

• Uso de chinelos durante o banho;

• Troca diária de meia;

• Banho imediatamente após cada treino com secagem adequada de todas as áreas, especialmente as áreas de dobras.



Quando retornar ao esporte?


Após melhora das lesões ao exame físico, que requer, no mínimo, 3 dias de tratamento tópico e 2 semanas de tratamento oral.


 



Pode-se marcar consulta com a Dra. Marilycia Piovisano, dermatologista, na recepção da Clínica Deckers. Ele atende às sextas-feitas das 14 hs às 20 hs. Horários previamente marcados por telefone.

Imprima este artigo






 
 
 
Clínica Deckers
Av. Europa, 887 - Jd. Europa - São Paulo / SP
Tel.: (11) 3065 1299
contato@clinicadeckers.com.br