Dermatoviroses Orientações Médicas / Dermatologia  

Dermatoses Associadas Aos Esrportes: Dermatoviroses

- Herpes do Gladiador
- Molusco Contagioso
- Verrugas Plantares



Herpes do Gladiador

Infecção causada pelo vírus herpes simples tipo 1, que acomete os praticantes de esportes de contato direto, como luta livre. As lesões caracterizam-se por vesículas sobre base eritematosa, que se tornam pústulas e se ulceram. Em geral, localiza-se em áreas de maior exposição como cabeça,  face,  extremidades superiores e tronco. As lesões podem associar-se a cefaléia, febre, odinofagia e adenopatias cervicais.



Como é feito o diagnostico?


O diagnostico eletivo é a citologia de Tzanck, que consiste em um raspado de uma vesícula, com presença de células gigantes multinucleadas. A cultura é o método diagnostico definitivo, mas demora dias para o resultado.
O diagnostico é estabelecido através de um exame denominado micológico direto, que consiste no raspado da lesão; e da cultura, que determina o agente causal exato, importante para o tratamento adequado.


Como é tratado?

O tratamento consiste em medicações antivirais orais, que diminui o tempo de duração da infecção e a chance de transmissão.


Como prevenir?


Um estudo comparativo populacional mostrou supressão de novos episódios com o uso de um antiviral especifico por 6 meses. Indicado para herpes recorrente.


Quando retornar ao esporte?


• Ausência de sintomas;

• Ausência de novas vesículas por pelo menos 72 horas;

• Todas as lesões devem estar crostosas;

• Completar um mínimo de 120 horas de terapia antiviral sistêmica.



Molusco Contagioso


Infecção causada pelo pox vírus, que acomete os praticantes de esportes de contato direto, como luta livre, rugby e natação, já que as piscinas seriam uma via de disseminação do vírus. A lesão é uma papula semi-esférica, séssil, geralmente umbilicada ou com depressão central. Geralmente assintomática, exceto quando infectada, podendo ser dolorosa. As lesões podem desaparecer espontaneamente, mas o tratamento é necessário para que o atleta possa retornar as suas atividades. Alem disso, se não tratado, pode causar problemas em atletas, como infecção bacteriana secundaria por S aureus e erupção eczematosa ao redor das lesões.


Como é feito o diagnostico?

O diagnostico laboratorial geralmente é desnecessário, pois o quadro dermatológico é característico.


Como é tratado?

Existem varias modalidades terapêuticas como curetagem, crioterapia, hidróxido de potássio, pulsed-dye laser e mais recentemente, imunomoduladores tópicos. A melhor opção para os atletas é a remoção física das lesões através da curetagem, para uma resolução mais rápida do quadro, evitando, assim, a transmissão para outros atletas e retorno breve a atividade. Quando o quadro é muito extenso, o molusco contagioso pode ser motivo de desqualificação da competição. No entanto, lesões solitárias podem ser curetadas antes da competição, de acordo com o NCAA Wrestling Championships Handbook.

Como prevenir?

Higiene rigorosa após exposição a secreções de outros atletas ou com objetos inanimados que teve contato, como bancos de piscina, toalhas, equipamentos de ginástica, esteiras.


Quando retornar ao esporte?

Os atletas devem ter suas lesões removidas antes de retornar a atividade. Lesões solitárias podem ser recobertas com gaze e esparadrapo.





Verrugas Plantares


Infecção causada pelo vírus papiloma humano, conhecido como HPV, mais prevalente em nadadores, devido ao uso de duchas comunitárias e corredores, devido ao calor e transpiração da pele. O aspecto é de uma área central anfractuosa, envolta por um anel hiperqueratotico, conhecido, vulgarmente por olho de peixe. A lesão pode ser bastante dolorosa. O diagnostico é clinico e deve ser diferenciado dos calos, presente em 8,5 a 41% dos corredores de maratona.





Como é tratado?


O tratamento de escolha é o acido nítrico fumegante que é aplicado após a raspagem das lesões. Deve ser feito sob supervisão médica com curativos a cada 2-3 dias. O tratamento é demorado, por varias semanas, mas altamente eficaz. Não causa dor e não impede a atividade normal. Outras opções são o nitrogênio liquido, porém bastante doloroso, podendo ocorrer formação de bolhas; e injeções de bleomicina na base da verruga, também bastante doloroso. Imunomoduladores tópicos podem ser usados em casos resistentes.


Como prevenir?


Corredores devem usar sandálias no vestiário e chuveiro para evitar a aquisição da verruga. Não foi demonstrado que os portadores devam usar proteção para não disseminar a infecção na água. Para não limitar a pratica esportiva, o tratamento deve ser paulatino, reduzindo ao mínimo a dor.


 



Pode-se marcar consulta com a Dra. Marilycia Piovisano, dermatologista, na recepção da Clínica Deckers. Ele atende às sextas-feitas das 14 hs às 20 hs. Horários previamente marcados por telefone.

Imprima este artigo





 
 
 
Clínica Deckers
Av. Europa, 887 - Jd. Europa - São Paulo / SP
Tel.: (11) 3065 1299
contato@clinicadeckers.com.br