Exposição Solar, Fotoproteção e Câncer de Pele Orientações Médicas / Dermatologia  

A radiação ultravioleta é a principal responsável pelo desenvolvimento do câncer de pele. Ela se encontra nos raios solares e nas cabines de bronzeamento artificial.

É importante lembrar que o efeito da radiação ultravioleta é cumulativo, ou seja, mesmo depois de parar de se expor ao sol, as alterações podem se manifestar anos depois.

A proteção solar é essencial para preservar a pele e também para prevenir o envelhecimento. O uso de protetor solar deve iniciar na infância, a partir dos 6 meses. Este deve ser aplicado 30 minutos antes da exposição solar e reaplicado a cada 2 horas.
A exposição solar entre 10 e 15 horas deve ser evitada.

O filtro solar deve ser espalhado em todo o corpo, inclusive orelha, pescoço, mãos e pés. O ideal é que o fator de proteção solar (FPS) seja no mínimo 15. Além disso, roupas e chapéus devem fazer parte da proteção. Nas praias as barracas devem ser de algodão ou lona que absorve 50% da radiação ultravioleta. Já nas barracas de nylon, os raios ultravioleta ultrapassam 95% deste material.

As pessoas que sofrem exposição solar intensa devido a esportes ao ar livre devem usar bloqueadores solares resistentes a água.


• Câncer de Pele:

Câncer de pele é o crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a pele. Os tipos mais comuns são os carcinomas basocelulares e os carcinomas espinocelulares. O tipo mais perigoso é o melanoma.

COMO IDENTIFICAR O CÂNCER DE PELE

- Um crescimento na pele de apar ência elevada e brilhante, translúcida, avermelhada, castanha, rósea ou multicolorida;

- Uma mancha ou ferida que n ão cicatriza, que continua a crescer apresentando coceira, crosta, erosão ou sangramento;

- Uma pinta preta ou castanha que muda sua cor, textura, torna-se irregular nas bordas e cresce de tamanho.


 



Imprima este artigo






 
 
 
Clínica Deckers
Av. Europa, 887 - Jd. Europa - São Paulo / SP
Tel.: (11) 3065 1299
contato@clinicadeckers.com.br